O castelo de Montemor-o-Velho

Vista do castelo de Montemor-o-Velho (foto de Paulo Fernandes)

Espraiando-se sobranceiro e imponente numa colina na margem direita do Mondego, o castelo de Montemor-o-Velho foi um dos centros defensivos mais importantes da época da Reconquista Cristã.

Foi depois da conquista da cidade de Montemor, por al-Mansur em 991 que se construíu «uma fortaleza de carácter islâmico», e da qual pouco chegou aos nossos dias. Em 1064, com a conquista de Coimbra, também Montemor passou para a posse dos cristãos, transformando-se na principal fortaleza do baixo-Mondego.

O antigo paço das infantas (foto de Paulo Fernandes)

Depois de estar em posse das tropas cristãs, o catselo sofreu algumas obras importantes. Datam desta época o paço mandado edificar por D. Urraca, filha de Afonso VI de Castela e Leão e meia-irmã da Condessa D. Teresa, e a igreja de Santa Maria da Alcáçova, fundada por D. Sesnando, e tranformada cerca de 400 anos mais tarde, no reinado de D. Manuel.

O rei D. Afonso Henriques mandou realizar obras na fortaleza, a que lhe seguiu o exemplo seu filho D. Sancho I. Deve datar dessa época a torre de menagem, e sabe-se hoje que a estrutura integra, no interior, material reaproveitado de construções romanas (o que era comum fazer-se na Alta Idade Média).

Torreões do castelo (foto de Paulo Fernandes)

Nos séculos seguintes, foram construídos os grandes torreões quadrangulares que podemos ver ao longo das muralhas, uma barbacã – um muro anteposto às muralhas, de menor altura do que estas, com a função de defesa do fosso , onde era oferecida a primeira resistência ao agressor – e um alambor – a rampa, muito inclinada, construída junto à base da muralha, que servia para o assalto do castelo pelos atacantes.

O paço real de D. Urraca, que havia sido remodelado pelas filhas de D. Sancho I, transformou-se num típico paço senhorial, e no século XV, foi casa sede do principe D. Pedro, o conhecido Infante das Sete Partidas.  Nos séculos seguintes, manteve-se a importância militar e estratégica deste castelo, chegando a aquartelar cinco mil homens, tendo sido ocupado pelas tropas de Napoleão sob o comando de Junot durante a Guerra Peninsular.

Actualmente, a câmara municipal local dinamiza este espaço, recebendo no recinto, feiras, festivais, concertos e representações teatrais. No espaço do antigo paço das infantas foi construída uma casa de chá, que acolhe os visitantes que queiram disfrutar de um fim de tarde com vista sobre o vale. Aproveite os dias quentes e cheios de sol para fazer uma visita até à vila de Montemor e conhecer um dos mais emblemáticos castelos da Idade Média portuguesa.

Castelo de Montemor-o-Velho (www.igespar.pt)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s