A nobre arte da Aguarela

Bamborough Castle - William Turner

A aguarela é uma dificil técnica de pintura, que exige muito trabalho para que se obtenha o resultado pretendido, uma vez que qualquer erro é impossível de apagar ou corrigir e muito difícil de disfarçar.

A aguarela obtém-se a partir de pigmentos diluídos em água, que depois são “pincelados” sobre diversos suportes (madeira, papiro, pergaminho, tecido, tela..), sendo o mais comum o papel. Antigamente, os pigmentos eram moídos e misturados com goma arábica, glicerina ou mel que lhes aumentava a transparência e mantinha a humidade. Actualmente as tintas de aguarela apresentam-se em tubos, pastilhas ou frascos, sendo os pigmentos posteriormente dissolvidos em água para posterior aplicação.

Esta técnica milenar terá surgido na China há mais de 2000 anos. Foi introduzida na Europa ainda na Idade Média, mas apenas no século XVIII é que viu reconhecida a sua autonomia, passando a ser conhecida como a “Arte Inglesa”. De entre os mais famosos aguarelistas destaca-se William Blake, poeta que usou as suas aguarelas para ilustrar as suas obras.

Incontornável é também William Turner, a quem são atribuídas 19000 aguarelas, havendo historiadores de arte que consideram que estas tiveram tanta influencia na sua obra que o levaram a experimentar em óleo as sobreposições de camadas típicas da aguarela. Seria este o segredo que conferia às suas telas a luminosidade que as caracteriza.

Lápis & Pincéis:

Aproveita o fim-de-semana grande que se avizinha e observa bem a natureza à tua volta, quer estejas no campo, na praia ou na cidade. Olha bem para o céu, vê se está de um azul cheio e com um sol vibrante ou se, pelo contrário, tem algumas nuvens dispersas ou uma cor cinzenta intensa.

Procura um papel grosso e texturado (os papeis muito lisos não são bons para fazer aguarelas), um copo com água e tintas de guache ou de aguarela, bem como alguns pincéis de diferentes tamanhos.

Podes seguir duas técnicas:

  1. Humedecer o papel, deixando que as cores se espalhem livremente à medida que vão sendo aplicadas e permitindo que se misturem nesse momento.
  2. Ir colocando camadas de cores sobre papel seco, deixando sempre que entre uma e outra o papel seque totalmente. As cores e formas desejavas vão-se obtendo através da sobreposição que resulta em tons mais escuros.

Outra dica é usar diferentes tipo de materiais, como a cera e o pastel, que contenham a tinta em espaços determinados, de forma a melhor compor o desenho.

Podes também descarregar a ficha aqui.

Agora, mãos à obra!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s